Comparação – Figuras de Linguagem

Comparação | As figuras de linguagem são recursos de expressão utilizados em todas as comunicação em nosso dia a dia. Mesmo aqueles que não sabem do que se trata fazem uso desses recursos, que possuem como principal objetivo deixar a comunicação mais dinâmica.

Existem diversas figuras de linguagem. Cada uma ocorre de uma maneira e tem uma função distinta na linguagem. Se quiser ter uma visão geral sobre as figuras de linguagem, saber quais são as principais e quais mais caem nas provas para concurso e vestibulares, clique no artigo a seguir: Figuras de Linguagem – O que são? Quais são as principais?

No texto de hoje, especificamente, falaremos sobre uma das figuras de linguagem mais comuns e conhecidas: a comparação. 

O que é a comparação?

Quando se trata de figuras de linguagem, a comparação sempre se mostra como uma das mais fáceis de se identificar. Em primeiro lugar, trata-se de um recurso de expressão no qual ocorre exatamente o que o nome propõe: a comparação entre um termo e outro.

Em segundo lugar, a comparação é fácil de ser identificado, tendo em vista que sempre é marcada com um termo comparativo. Alguns desses termos comparativos são: como, assim, tal qual, quanto, parece, com, tal como, dentre vários outros. 

A comparação é amplamente utilizada na linguagem coloquial, além de estar presente em textos literários. 

Exemplos de comparação

Como falado anteriormente, a comparação é uma das figuras de linguagem mais fáceis de ser identificadas. Neste tópico daremos alguns exemplos de sentenças onde esse recurso de expressão aparece. Veja: 

  • “Minha vida é como um mar de rosas”;
  • “Você é tal como um filho para mim”;
  • “O Ricardo está vestido assim como o Mateus”;
  • “Não duvide de si mesmo: você é tão bom quanto eles”; 
  • “A Sara parece com a Maria”; 

Todas as sentenças acima são exemplos clássicos do uso da comparação como figura de linguagem. É importante observar, assim como foi destacado em cada frase, que todas possuem termos comparativos. 

Comparação e metáfora: qual é a diferença?

Uma dúvida constante no estudo das figuras de linguagem se refere a comparação e a metáfora. Assim como a primeira, a metáfora se caracteriza a partir da colocação de termos como outros, em situações de igualdade (mesmo que este não seja o sentido original das palavras ali colocadas).

No entanto, a grande diferença de um recurso de expressão para outro é a utilização de termos comparativos. Como dito anteriormente, a comparação obrigatoriamente conta com palavras como “tal qual”, “como”, “quanto”, “parece”, dentre outros, para ser identificada. No caso da metáfora, isso não acontece: é uma relação direta que ocorre entre dois objetos na mesma frase, sem a intermediação de termos comparativos. 

Para entender melhor sobre essa diferença, veja as duas formas escritas da frase abaixo: 

  • “Laís é tão linda quanto a flor mais bela da natureza”; 

No caso acima, como destacada, trata-se de uma comparação, tendo em vista o termo comparativo “quanto”, em negrito na frase. 

Veja uma variação da mesma frase: 

  • “Laís é a flor mais bela da natureza”; 

Repare que, neste segundo exemplo, não há a comparação entre o sujeito (Laís) e o objeto (flor mais bela da natureza). A sentença, a fim de discorrer sobre a beleza de Laís, afirma apenas que ela é a flor mais bela da natureza. 

A metáfora é, necessariamente, uma figura de linguagem mais abstrata. A frase metafórica não precisa fazer sentido lógico e objetivo, mas sim subjetivo.