Matérias mais comuns do Enem

Matérias mais comuns do Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma prova realizada todos os anos do Brasil, desde 1998. Esse exame é formulado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Inicialmente, a proposta do Enem era de avaliar a qualidade do ensino médio nas escolas públicas e privadas de todo o país.

A partir de 2004, as notas obtidas no Enem passaram a servir de parâmetro para estudantes que desejavam ganhar bolsas em instituições privadas de ensino superior. Cinco anos depois, com a proposta de unificar os vestibulares para universidades federais no Brasil, o então Ministro da Educação, Fernando Haddad, apresentou uma nova proposta de modelo para a prova, que seria em dois dias, dividida em quatro áreas de conhecimento com 45 questões para cada.

O ingresso nessas instituições públicas é feito pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU), onde candidatos que fizeram o Enem colocam suas notas nos cursos e instituições desejadas. Essa unificação fez com que o Enem alcançasse o posto de segundo maior vestibular em todo o mundo, atrás apenas do exame unificado da China. Para se ter uma ideia do tamanho do Enem, no ano de 2014 foram feitas mais de 9 milhões e 800 mil inscrições para a prova, das quais 8 milhões e 700 mil foram confirmadas.

Todos esses motivos fizeram com que o Enem se tornasse de suma importância para milhões de pessoas todos os anos, as quais desejam entrar em universidades públicas de qualidade. Desse modo, nesse artigo iremos falar para você quais são as matérias e os conteúdos que caem no Enem com mais recorrência.

Como funciona o Enem

Antes de falarmos quais são as matérias e os conteúdos mais recorrentes na prova do Enem desde o ano de 2009 – quando o exame começou a adquirir esse formato –, é necessário explicitar para o leitor como funciona essa prova e de que maneira ela é dividida.

A prova do Enem é dividida de duas formas. Primeiramente, existe a divisão na proposta das questões: Há a prova objetiva – feita com questões de múltipla escolha, onde o candidato pode marcar cinco alternativas, que vão de A até E – e há a prova subjetiva – caracterizada como uma redação que deve ser feita pelo candidato no gênero dissertativo argumentativo e com um tema pré estipulado, mas que só se torna de conhecimento do candidato no dia da prova.

Dentro de uma dessas propostas – na prova objetiva – há uma outra divisão, a qual diz respeito à área de conhecimento. Essa parte possui 180 questões, dividas em quatro áreas do conhecimento. Nestas são cobradas matérias que a dizem respeito:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Filosofia e Sociologia;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Química, Física e Biologia;
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Português, Artes Visuais e Línguas (onde o candidato pode escolher entre Inglês e Espanhol);
  • Matemática e suas Tecnologias;

A fim de deixar a prova mais justa e evitar os “chutes certos”, isto é, quando algum candidato não sabe uma resposta, marca qualquer alternativa e acaba acertando, o método de correção adotado pelo Enem é a Teoria da Resposta ao Item, mais conhecido como TRI. Entre outros métodos dessa teoria, o mais popular é o de desconsiderar uma resposta certa no seguinte caso: se o candidato errar uma questão teoricamente mais fácil de um certo conceito em específico, mas acertar uma – daquele mesmo conceito –, mas que é considerada pelos formuladores mais difícil, esse indivíduo ganhará menos pontos do que se tivesse acertado a questão mais fácil e errado a mais difícil.

Isso ocorre pela teoria de que, se o candidato não sabe responder corretamente a questão mais fácil acerca daquele tema, provavelmente ele também não sabe a outra de nível superior, mas acabou acertando no chute.

Matérias mais comuns do Enem

Partindo agora ao que interessa, iremos falar das matérias que, desde 2009, mais caem no Enem. Foi observado que a grande maioria desses conceitos e temas são abordados ainda no Ensino Médio, o que confirma o caráter de avaliação desse período perdurando ao longo dos anos.

– Linguagens, Códigos e suas Tecnologias:

  • Português: as matérias que mais caem na prova de português no Enem são: Leitura e Interpretação de texto, com 28,8% das questões desde 2009; Análise de Discurso, com 18,2% das questões; Leitura e Artes, com 12,3%; Variedade Linguística, Gênero Textual e Literatura, com 8.3%; Relação entre textos e Funções da Linguagem, com 3,7% e Gramática, com 2,8%;
  • Espanhol: as matérias que mais caem na prova de Espanhol no Enem são: Interpretação de Texto, com 57,1% das questões desde 2009; Semântica, com 12,9%; Funções da Linguagem, com 7,2%; Interpretação de charges e funções do texto, com 5,7% e Análise de Literatura, com 4,3%;
  • Inglês: as matérias que mais caem na prova de Inglês no Enem são: Interpretação de texto, com 47,1% das questões desde 2009; Interpretação de charges e tirinhas, com 14,3%; Domínio da língua, com 12,9%, Análise de literatura, com 10% e Funções do texto, com 7,1%;

– Ciências Humanas e suas Tecnologias:

  • História: as matérias que mais caem na prova de História no Enem são: Idade Contemporânea, com 15,4% das questões desde 2009, Brasil Colônia, com 9,9%; Brasil Império, com 7,5%; História da política, com 7,2%; Movimentos Sociais, com 5,8%; Patrimônio da cultura, com 5,5% e Era Vargas, com 5%;
  • Geografia: as matérias que mais caem na prova de Geografia no Enem são: Temas relacionados à geografia agrária, com 19,1% das questões desde 2009; Meio Ambiente, com 17%; Economia e Globalização, com 14,1%; Urbanização, com 11%; Geopolítica e Demografia, com 8,1%; Transportes e comunicação, com 5%;
  • Filosofia: as matérias que mais caem na prova de Filosofia do Enem são: Ética, com 21,1% das questões desde 2009; Natureza do conhecimento, com 15,3%; Democracia e cidadão, com 12,9%; Filosofia Contemporânea, com 12,9% e Filosofia Moderna, com 11,8%;
  • Sociologia: as matérias que mais caem na prova de Sociologia do Enem são: Trabalho e os seus mudos, com 25,2% das questões desde 2009; Ideologia, com 13,7%; Indústria cultural, com 11,6% e Comunicação e Culturas de Massa, também com 11,6%;

– Ciências da Natureza e suas Tecnologias:

 

  • Física: as matérias que mais caem na prova de Física do Enem são: Mecânica, com 30,3% das questões desde 2009; Energias e eletricidade, com 24,6%; Ondas, com 19%; Termologia, com 17,1% e Óptica, com 9%;
  • Química: as matérias que mais caem na prova de Química do Enem são: Química Geral, com 24,9% das questões desde 2009; Química-física, com 23,8%; Química Orgânica, com 18,1%; Química e Meio Ambiente, com 12,1%; Energia, com 9,4% e Água, com 6%;
  • Biologia: as matérias que mais caem na prova de Biologia do Enem são: Ambiente, com 19,4% das questões desde 2009; Citologia – estudo da célula –, com 11,3%; Fisiologia, com 11,3%; Ecologia, com 8,1%; Microbiologia, com 7,8% e Evolução, com 5,7%;

 

– Matemática:

 

  • As matérias que mais caem na prova de matemática no Enem são: Geometria, com 26,3% das questões desde 2009; Aritmética, com 12,8%; Razão, Proporção e Escala, com 12,1%; Funções – de primeiro e segundo grau – com 9%; Porcentagens, com 8,3% e Análise de gráficos, também com 8,3%.