Movimento retilíneo uniforme

Um movimento retilíneo uniforme é um fenômeno no qual três variáveis ​​se juntam para escrever um deslocamento constante, em uma linha reta indeformável e sem qualquer tipo de aceleração. O MRU em siglas (movimento retilíneo uniforme) é uma das formas de deslocamento que são vistas primeiro na educação básica diversificada em matéria de física, pois é o mais simples dos movimentos e seu cálculo depende de variáveis ​​cuja denotação é constante também O gráfico mostra como a relação de tempo com a distância (expressa em metros) está aumentando, enquanto a velocidade permanece constante ao longo do tempo, porque senão ela deixaria de ser uniforme e a aceleração estaria presente no gráfico.

As fórmulas que são aprendidas para calcular o movimento retilíneo uniforme são simples, aplicando variáveis ​​dadas para calcular por meio da folga de cada uma delas em relação à outra. Em seguida, vamos explicá-los:

– A Distância (D) que é percorrida é calculada multiplicando a Velocidade (V) que devemos lembrar que é sempre constante com o Tempo (T) que leva a rota restante da seguinte maneira D = V * T.

– Para o Tempo (T) dividimos a Distância (D) entre a Velocidade (V) obtendo T = D / V.

– Velocidade (V) também é obtida sob o mesmo preceito V = D / T.

O sistema de simbologia com o processo de limpeza também é cancelado, deixando as unidades correspondentes para cada magnitude, deve ser sempre assim, deve-se tomar cuidado para não apresentar a resposta do exame com uma unidade diferente da estabelecida para cada um, pois não haveria correspondência com os dados e as unidades. O movimento linear uniforme é uma situação ideal, onde não há agentes que interrompem o curso deste, se não iria mudar a metodologia a ser aplicada, assim diz Isaac Newton nas leis da física que ainda hoje permanecem em vigor os campos em que o MRU é estudado e aqueles que complementam a teoria. A representação gráfica da distância percorrida em função do tempo dá origem a uma linha cuja inclinação corresponde à velocidade.

Cinemática

Cinemática, ramo da física e uma subdivisão da mecânica clássica relacionada com o movimento geometricamente possível de um corpo ou sistema de corpos sem consideração das forças envolvidas (isto é, causas e efeitos dos movimentos).

A cinemática visa fornecer uma descrição da posição espacial de corpos ou sistemas de partículas materiais, a taxa na qual as partículas estão se movendo (velocidade) e a taxa na qual sua velocidade está mudando (aceleração). Quando as forças causais são desconsideradas, as descrições de movimento só são possíveis para partículas que tenham movimento restrito – isto é, mover-se em caminhos determinados. No movimento sem restrições ou livre, as forças determinam a forma do caminho.

Para uma partícula movendo-se em um caminho reto, uma lista de posições e tempos correspondentes constituiria um esquema adequado para descrever o movimento da partícula. Uma descrição contínua exigiria uma fórmula matemática expressando a posição em termos de tempo.

Quando uma partícula se move em um caminho curvo, uma descrição de sua posição se torna mais complicada e requer duas ou três dimensões. Em tais casos, descrições contínuas na forma de um único gráfico ou fórmula matemática não são viáveis. A posição de uma partícula movendo-se em um círculo, por exemplo, pode ser descrita por um raio rotativo do círculo, como o raio de uma roda com uma extremidade fixa no centro do círculo e a outra extremidade presa à partícula. O raio de rotação é conhecido como um vetor de posição da partícula e, se o ângulo entre ela e um raio fixo for conhecido como uma função do tempo, a magnitude da velocidade e aceleração da partícula pode ser calculada. A velocidade e a aceleração, no entanto, têm direção e magnitude; a velocidade é sempre tangente ao caminho, enquanto a aceleração tem dois componentes, um tangente ao caminho e o outro perpendicular à tangente.

A cinemática analisa as posições e movimentos dos objetos em função do tempo, sem levar em conta as causas do movimento. Envolve as relações entre o deslocamento de grandezas (d), velocidade (v), aceleração (a) e tempo (t). As primeiras três dessas quantidades são vetores.

Definição de um vetor

Um vetor é uma grandeza física com direção e magnitude, por exemplo, velocidade ou força. Em contraste, uma quantidade que tem apenas magnitude e sem direção, como temperatura ou tempo, é chamada de escalar. Um vetor é comumente denotado por uma seta desenhada com um comprimento proporcional à magnitude dada da quantidade física e com a direção mostrada pela orientação da ponta da seta.

Movimento retilíneo uniforme: Deslocamento e velocidade

Imagine que um carro comece a viajar ao longo de uma estrada depois de partir de um posto de sinalização específico. Para saber a posição exata do carro depois de percorrer uma certa distância, é necessário conhecer não apenas as milhas percorridas, mas também o rumo. O deslocamento, definido como a mudança na posição do objeto, é um vetor com a magnitude como uma distância, como 10 milhas, e uma direção, como leste. A velocidade é uma expressão vetorial com uma magnitude igual à velocidade percorrida e com uma direção de movimento indicada. Para movimento definido em uma reta numérica, a direção é especificada por um sinal positivo ou negativo. A velocidade média é matematicamente definida como:

Velocidade média = deslocamento total/tempo decorrido

Note que o deslocamento (distância da posição inicial) não é o mesmo que a distância percorrida. Se um carro percorrer uma milha a leste e, em seguida, retornar uma milha a oeste, para a mesma posição, o deslocamento total será zero, assim como a velocidade média nesse período de tempo. O deslocamento é medido em unidades de comprimento, como metros ou quilômetros, e a velocidade é medida em unidades de comprimento por tempo, como metros / segundo (metros por segundo).