O que é Briófitas?

O que é briófitas?

As briófitas são plantas de pouco tamanho que, na maioria das vezes, atingem apenas poucos centímetros de altura. Essas plantas costumam se desenvolver e se fixar em lugares com mais sombra e que possuam mais umidade, mas podem ser encontradas também em lugares mais secos e que tenham água doce. Seu nome tem origem no grego e deriva da palavra bryon, que significa “musgo”, e da palavra phyton, que significa “planta”.

As plantas briófitas possuem pouca altura e, devido a isso, elas não têm vasos que conduzam a seiva, assim como não possuem estruturas rígidas para sustentação. Devido a esse fato, as plantas briófitas transportam as substâncias através do processo de difusão que ocorre de maneira lenta. Esse tipo de planta possui uma divisam entre filos que são o Anthocerophyta, o Bryophyta e o Hepatophyta.

Quando se fala em plantas briófitas talvez pareça algo muito distante ou difícil de encontrar, porém um exemplo bem comum de espécie de planta briófita encontrada com facilidade é o musgo, que cresce sempre em locais úmidos e sombreados.

Composição da briófita – O que é briófitas?

O corpo da planta briófita, falando mais especificamente do musgo, tem sua formação composta por três estruturas básicas, que são:

Os rizoides – O que é briófitas?

Os rizoides são uma formação de filamentos que tem a função de fixar a planta no ambiente onde ela se desenvolve, possuem também a função de absorver os nutrientes, a água e os sais minerais presentes no ambiente, a fim de dar as substâncias necessárias para a sobrevivência das briófitas. Apesar de exercer uma função semelhante às raízes, os rizoides se diferenciam por não possuírem a mesma estrutura de plantas vasculares.

 Os cauloides – O que é briófitas?

Os cauloides possuem a mesma função que o caule tem em outras plantas, é como uma pequena haste por onde saem os filoides.

Os filoides – O que é briófitas?

Os filoides são estruturas presentes nas briófitas que possuem a capacidade de realizar o processo de fotossíntese.

Estrutura das briófitas – O que é briófitas?

estrutura das briófitas
estrutura das briófitas

As partes que constituem as plantas briófitas são os rizoides, os cauloides e os filoides, que não possuem a mesma estrutura de organização de raízes, de caules e de folhas que as demais plantas, que fazem parte dos outros grupos de plantas, começando pelas pteridófitas. Um exemplo do que falta nas briófitas são os vasos condutores, que possuem a função de transportar os nutrientes como a água para a planta. Em outras plantas que apresentam a estrutura tradicional de rizes, de caules e de folhas os vasos condutores estão sempre presentes em sua constituição.

Devido a não ter vasos condutores de nutrientes em sua estrutura, as plantas briófitas absorvem a água do ambiente e a transportam em seu interior de um célula para outra célula, por todo o corpo da planta. Essa maneira de transportar os nutrientes é extremamente lenta e interfere diretamente no desenvolvimento de plantas com grande porte. Por isso, as plantas briófitas são sempre mais baixas e pequenas.

Para entender melhor imagine uma planta terrestre que tenha um grande porte, mas que não tenha vasos condutores em uma estrutura. Uma árvore nesse caso levaria um tempo demorado para levar água até as folhas. Dessa maneira, elas ficariam desidratadas e secariam muito rápido, principalmente em um dia quente quando as folhas tendem a transpirar mais e perdem uma grande quantidade de água para o meio ambiente, assim a planta morreria bem rápido. Por isso plantas de grande porte possuem vasos condutores de nutrientes.

Apesar disso, não são todas as plantas que têm os vasos condutores de nutrientes que possuem grande porte. Um bom exemplo é o capim, que possui vasos condutores, mas ainda assim apresentam pequeno porte. Porém, é possível constatar que plantas terrestres sem vasos condutores de nutrientes são sempre de estatura baixa e são pequenas, optando sempre por lugares que tenham sombra e sejam úmidos.

Plantas briófitas – O que é briófitas?

plantas briófitas
plantas briófitas

As espécies mais comuns de plantas briófitas são o musgo e as hepáticas. O nome das hepáticas tem origem no grego e deriva da palavra hepathos que significa “fígado”. Essas plantas recebem esse nome devido a formação de seu corpo que se assemelha ao formato de um fígado.

O musgo apresenta formação ereta, já as hepáticas costumam se desenvolver deitadas no solo. Existem algumas espécies de plantas briófitas que vivem em ambientes de água doce, porém não existe registro de uma espécie de planta briófita que viva no mar.

Briófitas reprodução – O que é briófitas?

A maior parte das plantas briófitas possui reprodução sexuada, mas existem também algumas espécies que realizam esse processo de maneira assexuada.

Reprodução sexuada das briófitas – O que é briófitas?

A reprodução sexuada das plantas briófitas se desenvolve na água e pode ocorrer de duas formas de geração. A primeira delas é uma geração esporofítica, que é aquela que produz esporos, e a outra geração é gametofítica, ou seja, que produz gametas.

O gametófito masculino tem um tipo de estrutura de nome anterídio, nessa estrutura são criados os gametas masculinos, chamados de anterozoides, que são transportados com a ajuda de seus flagelos, sendo levado até os gametas femininos da planta, chamados de oosferas. Quando é fecundado, o zigoto passa por mitoses e forma um embrião. Esse mesmo embrião é desenvolvido com o surgimento de novas mitoses e origina o esporófito.

No momento em que o esporófito chega a maturidade uma cápsula é formada, as células dentro dela passam por meiose e originam os esporos haploides. Os esporos são lançados no ambiente, quando finalmente acham um substrato adequado eles germinam e dão origem a um novo gametófito.

Uma planta que serve de exemplo é o musgo. Quando o musgo é encontrado em um solo úmido, por exemplo, eles são plantas sexuadas que estão na fase conhecida como gametófito, que é a fase onde são produzidos os gametas.

Reprodução assexuada das briófitas – O que é briófitas?

O processo de reprodução assexuada das plantas briófitas ocorre por meio da formação de propágulos no interior das estruturas que se encontram na planta mãe. Esses propágulos se desprendem da planta e são espalhados por meio de gotas e respingos de água no ambiente. Quando encontra um substrato novo que seja adequado ele se desenvolve e dá origem a uma nova planta adulta.