Pirâmide de Maslow

Pirâmide de Maslow

Com o passar dos anos e à medida que vamos envelhecendo é comum que ganhemos mais experiência e conhecimento sobre as coisas do mundo e os dilemas da vida. Desse modo, na maioria dos casos, passamos a enxergar a existência de forma mais ampla, de modo a priorizar as coisas que julgamos ser mais importantes.

Contudo, a visualização de maior importância em algumas necessidades nem sempre é fácil para alguns indivíduos, o que pode levar a uma qualidade de vida consideravelmente menor. Por esse motivo, foi criada a Pirâmide de Maslow, um tipo de teoria muito estudada na psicologia e na administração que tem como objetivo elencar quais são as necessidades do ser humano, de modo a colocar algumas como mais importantes que outras e que, por isso, devem ser satisfeitos de forma posterior.

Essa teoria foi criada por Abraham Harold Maslow, um importante psicólogo norte americano nascido na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, e que viveu entre os anos de 1908 até 1970. Em sua biografia, ele diz que a maior contribuição para elaboração da pirâmide foi o lugar de conflito constante em que vivia em sua infância: o Brooklyn. Estudou incialmente na Cornell University, mas não se sentiu satisfeito com a abordagem acadêmica. Encontrou-se realmente quando foi para Universidade de Wisconsin, a qual é considerada sua Alma Mater – expressão em latim que significa, em forma literal, “a mãe que nutre”, e em forma figurada, serve para mostrar o lugar onde as ideias de grandes pensadores foram estimuladas.

Como funciona a Pirâmide de Maslow?

A Pirâmide de Maslow, também conhecida como Hierarquia de Necessidades de Maslow, é uma teoria que tem como objetivo demonstrar quais são as necessidades mais importantes para o bem estar humano em ordem de importância.

Dessa forma, ele dividiu essas necessidades de duas formas distintas. Primeiramente, Maslow dizia que o ser humano se dispõe de dois tipos principais de necessidades: as primárias (também conhecidas como básicas) e as secundárias. Para definir quais são cada uma delas, o psicólogo norte americano dividiu as ações promovidas por nós em 5 grupos: Fisiológicas, Segurança, Sociais, Status (Estima) e Auto Realização.

Após separar as necessidades do ser humano, Maslow idealizou uma ordem de importância para essas 5 categorias.

Necessidades Fisiológicas:

As necessidades fisiológicas podem ser tratadas como as coisas essenciais para a nossa vida, de forma literal. Pode ser exemplificado como a necessidade de se manter vivo e, por isso, inclui a respiração, a ingestão de nutrientes, boas noites de sono, uma quantidade ideal de líquidos diariamente, as relações sexuais, o tempo de descanso, dentre outras coisas.

Para Maslow, essas necessidades fisiológicas são, de certa forma, realizadas de modo instintivo pelo ser humano. Por isso, esse ponto se encontra no primeiro lugar na ordem de importância das necessidades, sendo assim classificada com uma necessidade primária.

Necessidades de Segurança:

As necessidades de segurança podem ser tratadas como a necessidade de manter nossa integridade física, além de condições mínimas para o nosso bem estar. Para Maslow, essa categoria não está, como o nome propõe, atrelada apenas ao conceito de não ser ferido, mas também às necessidades de ter segurança no seu emprego, viver em um ambiente suportável, dentre outros aspectos.

Como é altamente importante para a manutenção da vida em si, as necessidades de segurança são colocadas, com base nessa teoria, no segundo lugar na ordem de importância das necessidades. A exemplo do tópico anterior, também é uma categoria enquadrada como necessidade primária.

Necessidades Sociais:

As necessidades sociais podem ser tratadas como a imprescindibilidade de manter relações próximas com outras pessoas de forma harmônica. Em outras palavras, Maslow queria dizer que nós seres humanos precisamos sentir-nos parte de algo, seja um grupo, uma família ou mesmo uma relação a dois.

Essa categoria está fortemente atrelada à necessidade de receber carinho, afeto e amor, de forma que as relações não estão restringidas somente às românticas, mas também com as de amizade, familiares, dentre outros. Na ordem de importância colocada por Maslow, esse grupo ocupa o terceiro lugar, de forma a ser classificada como uma necessidade secundária.

Necessidades de Status (Estima):

As necessidades de Status, que também pode ser tratado como estima, estão relacionados com dois fatores: O primeiro é a necessidade de sentirmo-nos bem conosco, isto é, ter a certeza de que somos dignos para do que temos e do que almejamos ter. Para Maslow, se sentir suficiente é muito importante para o ser humano. Já o segundo está atrelado com o Status para com as outras pessoas, principalmente as quais damos importância. Desse modo, ele diz que o sentimento de ser respeitado por outras pessoas, seja em ambiente familiar ou profissional, é essencial para o nosso bem estar.

Essa categoria é fortemente associada com o conceito de autoestima. Abraham Maslow colocou a Necessidade de Status como quarta colocada na ordem de importância, sendo assim considerada uma necessidade secundária.

Necessidades de Auto Realização:

As necessidades de Auto Realização estão fortemente atreladas ao sucesso do indivíduo nas áreas que ele almeja. Para Maslow, mesmo que este seja o último pilar de sua ordem de importância, a felicidade humana só é atingida no momento em que realizamos os nossos sonhos. Nesse momento de seu raciocínio, o psicólogo norte americano bate muito em uma tecla, a qual ele classifica como auto aceitação.

A partir desse termo, ele tem o objetivo de dizer que a pessoa deve encontrar qual a sua verdadeira natureza, o que este realmente ama, seja em qualquer âmbito de sua vida, e que ele deve aceitar aquilo e seguir insistindo. Uma de suas frases mais conhecidas é “What humans can be, they must be: they must be true to their own nature!”, onde ele prega que devemos ser o que podemos, sem nunca trairmos nossa própria natureza.

Ele também diz que a auto realização está situada em um momento de esclarecimento psíquico, onde o indivíduo se liberta de qualquer preconceito que poderia atingi-lo.

A pirâmide:

De forma a ilustrar a ordem de importância que dava às necessidades do ser humano, Maslow construiu uma pirâmide, a qual foi intitulada com o seu nome. Dessa forma, a pirâmide é divida em 5 categorias, onde as necessidades devem ser saciadas de forma gradativa, de baixo para cima.

Outras necessidades:

Com a sua teoria já infundadas, Abraham Maslow considerou outras duas categorias adicionais de necessidades, as quais devem ser saciadas em uma ordem de importância menor do que as que já haviam sido pontuadas. Dessa forma, ele adiciona:

 

  • Necessidade de conhecimento e entendimento: Se associa com o sentimento de um indivíduo em precisar conhecer e entender o mundo e as pessoas em sua volta, de modo que tudo se torna interessante e objeto de estudo para aquela pessoa em questão;
  • Necessidades estéticas: Está atrelado ao desejo de estar dentro dos padrões de belezas que o próprio indivíduo considera como sendo os ideais;

 

Críticas às teorias de Maslow

Como todas as teorias das áreas de Humanas já feitas na história da humanidade, a Pirâmide de Maslow sofreu e ainda sofre críticas. A maioria dessas objeções são relacionadas às diferenças existentes entre distintos indivíduos, alegando que cada um pode ter uma ordem de importância singular para a sua vida.

O filósofo chileno Manfred Max Neef defende a ideia de que, apesar de Maslow ter mostrado as necessidades do ser humano de forma acertada, estas não possuem uma forma de importância e devem ser realizadas e forma conjunta. Outros pensadores alegam que é possível estar auto realizado, porém não ter cumprido todas as necessidades fisiológicas.

A aplicação da Pirâmide de Maslow em uma empresa

Como já falamos anteriormente, Abraham Maslow era um psicólogo que tinha com objeto de estudo as prioridades do ser humano em busca da plenitude. Contudo, as suas conclusões não são estudadas apenas pela Psicologia, mas também são aplicadas pela Administração.

Isso ocorre pelo fato de que sua pirâmide é adaptada, de forma a servir para orientar o profissional no seu ambiente de trabalho. A teoria é muito usada pelo setor de Recursos Humanos, que procuram, por meio da ordem de importância dessas necessidades, promover o crescimento e o bem estar dos seus funcionários.

As principais adaptações são:

  • Necessidades fisiológicas: Conforto físico, horários flexíveis, intervalos, horário de almoço;
  • Necessidades de segurança: Estabilidade no emprego, um bom salário;
  • Necessidades sociais: Estabelecer vínculos com os colegas de trabalho, se sentir incluído no grupo social da empresa;
  • Necessidades de estima: Se sentir responsável pelos resultados na sua empresa, o reconhecimento da sua importância pelos seus colegas e superiores;
  • Necessidades de auto-realização: Autonomia no ambiente de trabalho, atingir os cargos mais altos ou desejados;