Pleonasmo – Figuras de Linguagem

Pleonasmo – Figuras de Linguagem | As figuras de linguagem são recursos de expressão utilizadas para dar mais ênfase ao discurso, ou seja, a mensagem que deseja passar. 

Existem várias figuras de linguagem, muitas delas divididas em subgrupos. Se quiser saber mais sobre as figuras de linguagem, o que são e quais são as principais, clique no link a seguir: Figuras de Linguagem – O que são? Quais são as principais? 

No artigo de hoje falaremos sobre o pleonasmo, uma figura de linguagem comum na língua portuguesa. 

O que é o pleonasmo? 

Um pleonasmo é uma frase ou sentença redundante, como “vi com meus próprios olhos”. É claro que ver é uma ação feita com os olhos e, portanto, adicionar “com meus próprios olhos” é redundante e desnecessário para o contexto. No entanto, pode haver razões estilísticas para usar o pleonasmo, como para enfatizar e dar força a mensagem passada. 

A palavra pleonasmo vem da palavra grega pleonasmos, que significa “excesso”, originalmente de pleon, que significa “mais; demais.”

Exemplos de Pleonasmo 

Existem muitas frases comuns que dizemos em inglês que são exemplos de pleonasmo. Aqui está uma pequena lista:

  • Tive déjà vu, vi tudo de novo;

A expressão déjà vu já tem como significado “ver tudo novamente”. Portanto, a sentença acima trata-se de um pleonasmo. 

  • Pode ser possível;

Se algo “pode ser” ou “pode acontecer” já significa que é possível. Dessa forma, a última palavra na frase é desnecessária; 

  • Ouvi com meus próprios ouvidos;

Só é possível ouvir com os próprios ouvidos, portanto trata-se de um pleonasmo. 

  • Presente gratuito;

A palavra presente já significa que é algo gratuito, dado por alguém. 

  • Fato verídico;

Se é um fato, já trata-se de algo verídico. 

  • Número do PIN; 

A sigla PIN significa, em inglês, “Personal Identification Number”, ou, em tradução para o português “Número pessoal de identificação”. Dessa forma, torna-se uma redundância dizer “número do PIN”. 

Existem alguns exemplos de pleonasmos que combinam dois idiomas, mas acabam dizendo a mesma coisa nas duas línguas. Por exemplo, “Sahara” e “Gobi” significam deserto em árabe e mongol, respectivamente, e dizer “Deserto do Saara” ou “Deserto de Gobi” pode ser redundante. De fato, existem muitas centenas de nomes de lugares que são pleonasmos que usam o idioma dos habitantes anteriores daquela área combinado com o idioma dos habitantes mais recentes. Aqui estão outros exemplos de pleonasmos que são redundantes devido ao uso do mesmo significado em dois idiomas:

  • Chá Chai – “Chai” significa chá em chinês;
  • The Los Angeles Angels – traduzindo a parte do meio do nome dessa equipe do espanhol para o inglês, seria “Os anjos anjos”, configurando pleonasmo;

O pleonasmo, por muitos estudiosos da gramática, não pode ser considerado uma figura de linguagem, tendo em vista que, na grande maioria das vezes, configura-se apenas em erro gramatical, sem dar ênfase à mensagem em si. 

Por esse motivo, o pleonasmo foi dividido em dois subgrupos: pleonasmo e pleonasmo vicioso. O pleonasmo vicioso, nesse caso, seriam aqueles que configuram erros de gramática. O pleonasmo em si seria aquele utilizado mais em textos literários. Veja alguns exemplos: 

  • Céu azul; (O céu só pode ser azul, mas é uma expressão bastante utilizada); 
  • Sol claro; 
  • Mar salgado; 

Gostou do nosso artigo sobre “Pleonasmo”? Deixe abaixo nos comentários a sua dúvida sobre o assunto e bons estudos!