Sistema Digestivo

Sistema Digestivo – Uma das grandes virtudes do ser humano é ver diferentes órgãos e segmentos trabalhando em conjunto para diferentes finalidades. Não é diferente quando pensamos em sistema digestivo, afinal, ingerir um alimento pela boca, ver ele passar por diversas partes do seu corpo para que nutrientes sejam absorvidos e depois ver os resíduos serem evacuados seria uma tarefa impossível para não ser realizada de forma integralizada entre diferentes partes do nosso organismo.

No artigo a seguir você encontrará os seguintes tópicos:

  • A importância da digestão;
  • Função de cada parte do sistema digestivo;
  • A absorção de nutrientes;
  • O controle do sistema digestivo;
  • Enzimas digestivas;

Sistema Digestivo – Tudo Sobre

sistema digestivo
sistema digestivo

Em quadro de comparação, podemos definir o sistema digestivo como uma máquina super sofisticada, onde cada engrenagem sabe perfeitamente exercer sua função e suas consequências para a vida humana são fundamentais.

Toda a energia que precisamos para as atividades extremamente necessárias realizadas cotidianamente por nosso corpo vem dos alimentos que consumimos em nossas refeições. Diante disso, o nosso sistema digestivo nos permite fazer uso desses alimentos como fonte de energia das mais diferentes maneiras possíveis. Tanto a carne de um animal como as folhas de uma planta têm seus valores nutricionais que serão fundamentais para o funcionamento estável de todo o organismo humano, realizando processos que posteriormente vão ser importantes para todas as outras tarefas que acontecem no corpo.

O sistema digestivo é composto do tubo digestivo – também chamado de trato digestivo – e do fígado, pâncreas e vesícula biliar. O tubo digestivo é uma série de órgãos unidos em um longo tubo de torção da boca até o ânus. A boca, o estômago, o esôfago, o intestino grosso e o delgado, além do ânus, são os órgãos que compõem essa parte do sistema, assim como o fígado, o pâncreas e a vesícula biliar, que também exercem funções importantes para o pleno funcionamento de tudo isso. Vamos conhecer um pouco mais sobre o papel de cada um deles na sequência desse artigo.

O intestino delgado é separado em três partes, chamadas duedono, jejuno e íleo. Já quando falamos em intestino grosso, lembramos de outras partes importantes, como o apêndice, o cólon e o reto. O reto é o fim do intestino grosso.

As bactérias presentes em seu tubo digestivo vão ajudar em sua digestão, além também de outros sistemas de seu corpo atuarem nesse momento – é o caso do sistema nervoso e do sistema circulatório, por exemplo, que exercem papeis secundários nesse processo. Tudo isso trabalhando em conjunto proporciona um sistema digestivo capaz de digerir e quebrar melhor todos seus alimentos ingeridos cotidianamente.

A importância da digestão

Como mencionado anteriormente, a energia que é utilizada pelo seu corpo para as mais diferentes tarefas e processos do seu organismo vem de sua alimentação. Isso explica porque a digestão é importante para o pleno funcionamento saudável do seu corpo. Proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais são nutrientes que são quebrados em partes por seu sistema digestivo – partes pequenas o suficiente para que elas sejam absorvidas pelo seu organismo com a finalidade de usá-las para energia, crescimento e reparo celular. Veja alguma das transformações que ocorrem durante esse processo, que te ajudam a entender também as necessidades de aplicações de ter uma alimentação saudável e versátil em nutrientes:

  • Proteínas se convertem em aminoácidos;
  • Gorduras em ácidos graxos e glicerol;
  • Carboidratos em açúcares simples;

Cada parte de seu sistema digestivo ajuda na locomoção das comidas e líquidos através de seu tubo digestivo, quebrando a comida e / ou líquido em partes menores. A partir do momento que acontece a divisão dos alimentos em pedaços menores o suficiente para o prosseguimento das atividades digestivas e distribuição de energia, seu corpo começa com a absorção e locomoção desses nutrientes. Os resíduos restantes de todo esse processo são transformados em fezes e são evacuados de seu corpo.

O processo que facilita a movimentação dos alimentos através do tubo digestivo é denominado peristaltismo. Por definição, peristaltismo é o conjunto das contrações musculares de órgãos ocos, o que acaba provocando o avanço do que está passando por ele. Uma camada musculosa desses órgãos permite que suas paredes se movimentem, empurrando os alimentos por todo seu tubo digestivo. Basicamente, o musculo que está por trás do alimento se contrai e assim sucessivamente, até que a comida vai se movendo para frente.

Função de cada parte do sistema Digestivo

Para detalhar todas as funções e acontecimentos durante sua digestão, precisamos ir em uma forma de passo a passo, entendendo a atuação de cada órgão e outras partes do corpo que estão conectadas a tudo isso. Começando pela boca, que é por onde o alimento tem o primeiro contato com seu corpo. A comida é empurrada para dentro de sua garganta pela língua, enquanto a epiglote atua com a finalidade de evitar asfixia ou que você engasgue, fazendo com que o alimento chegue até o esôfago.

A partir de agora, no esôfago, o processo é automático e “involuntário”. Seu cérebro trata de direcionar os músculos para que o processo de empurrão do alimento pelo tubo digestivo aconteça corretamente, além da quebra para colheita de nutrientes. No final do esôfago, novos movimentos começam a acontecer, graças a um anel muscular presente no nosso organismo.

Chamado esfíncter esofágico interior, ele é responsável por uma retração que permite que o alimento chegue até o estômago. Depois disso, ele geralmente fica fechado, pois o que está presente em seu estômago não pode flutuar de volta para o esôfago em hipótese alguma.

No estômago a coisa começar a ficar mais séria. Os músculos locais começam por misturar comida e liquido com sucos digestivos, depois esvaziando todo o conteúdo no seu intestino delgado. No intestino delgado, por sua vez, os músculos dali seguem a mistura de alimentos com sucos digestivos de outros órgãos, proporcionando uma digestão adicional.

A partir desse momento começam a acontecer também a absorção de água e nutrientes que serão benéficos para o corpo, componentes estes que são digeridos em seu sangue. O processo citado acima chamado peristaltismo ainda está acontecendo, fazendo com que alguns resíduos provenientes da sua digestão cheguem até o intestino grosso.

Esses produtos residuais que chegam ao intestino grosso contam com, aliás, partes de alimentos que nem digeridas são, além de células mais velhas do seu tubo digestivo e alguns fluidos. Ele atua também na absorção de água e faz com que alguns resíduos líquidos sejam transformados em fezes, com o processo de contrações musculares ainda ajudando na locomoção, até que elas cheguem ao reto. Posteriormente, as fezes ficam armazenadas no reto até que sejam evacuadas para fora do seu corpo.

A absorção de nutrientes

sistema digestivo
sistema digestivo

Durante todo esse processo destrinchado acima, uma das grandes finalidades dele, além de se livrar de resíduos dispensáveis, é a absorção nutricional para, a partir disso, o corpo obter energia para a realização de diferentes processos. Para que tudo isso aconteça perfeitamente, você também precisa ajudar seu próprio organismo desde o momento que está ingerindo o alimento pela boca.

Para que a comida que passa pelo seu tubo digestivo seja dividida em partes menores, são necessários movimentos que começam desde a sua mastigação. Mastigar a comida corretamente é algo que você certamente escuta desde os primeiros anos de vida, com a finalidade de facilitar o trabalho do seu sistema digestivo e evitar complicações. Sucos digestivos como as enzimas, bile e ácido estomacal também tem papel importante nessa quebra para absorção de nutrientes.

Cada órgão ou parte de seu sistema digestivo também terá funções importantes para que tudo isso aconteça corretamente. Se antes falamos de um modo geral sobre o processo digestivo em si, agora vamos focar em explicar essa quebra dos alimentos e sua transformação em energia para o corpo.

Como dito, todo esse processo digestivo começa quando você está mastigando o alimento. Suas glândulas salivares entram em ação lhe proporcionando uma maneira de umedecer os alimentos, facilitando seu transporte por seu sistema digestivo até chegar ao estômago. Além disso, a saliva também atua na quebra dos amidos presentes em sua alimentação. O amido é uma substância muito comum em pães, alimento tão comum no cardápio da maioria das pessoas.

Após engolir, as contrações musculares vão empurrando o alimento durante o esôfago e chegando no estômago, onde glândulas de revestimento produzem ácidos estomacais e outras enzimas capazes de fazer essa quebra dos alimentos para pedaços menores que podem ser úteis para o organismo. No estômago ainda acontece uma mistura entre seus alimentos e esses sucos digestivos.

Outro órgão entra em ação a partir de agora, também na produção de sucos digestivos a partir de enzimas, com a finalidade de quebrar gorduras, proteínas e carboidratos. Tudo isso acontece no pâncreas, que além de tudo isso, através de ductos, ainda entrega esse suco digestivo ao intestino delgado.

Agora é a vez do fígado, que contribui para esse processo a partir da bile, que ajuda na digestão de gorduras e vitaminas. Essa bile do fígado pode ter dois fins em seu organismo, indo para a vesícula biliar visando armazenamento ou direto para o intestino delgado, em caso de utilização. Se ela for armazenada, isso entre as refeições, a partir do momento que você se alimentar novamente, a vesícula biliar irá espremer bile através dos ductos para levar a substância até o intestino delgado.

No intestino delgado, mais suco digestivo é produzido, dessa vez em mistura com suco biliar e também aquele originado do pâncreas, completando toda a quebra de proteínas e demais nutrientes fundamentais para nosso organismo. Nesse local, também existem bactérias com a finalidade de produção de enzimas que exercem função importante na digestão de carboidratos, por exemplo.

O processo de quebra de comida ainda tem o reforço da sua capacidade de locomover água da corrente sanguínea até o tubo digestivo, além de absorver a água em si e outros componentes. Essa movimentação da água entre tubo digestivo e corrente sanguínea segue acontecendo já no intestino grosso. Bactérias presentes nesse local ainda papel importante na digestão de alguns nutrientes restantes que possam ainda estar ali, além de vitamina K. Depois de tudo isso, os resíduos restantes se tornam fezes e são eliminados.

O controle do sistema digestivo

sistema digestivo
sistema digestivo

Como dito já anteriormente, o corpo designa órgãos específicos para a realização de todo o processo digestivo, mas para que ele aconteça corretamente é necessário toda uma integralização entre diferentes partes do nosso organismo, com os nervos e hormônios ajudando bastante no controle dessa atividade. Eles trabalham em conjunto para ajudar no processo, pois tudo precisa acontecer em sintonia com o cérebro.

Falando dos hormônios, por exemplo, vemos sua importância ao perceber que o estômago e o intestino delgado são revestidos por células que liberam hormônios capazes de controlar o pleno funcionamento do sistema digestivo. Eles “conversam” com seu corpo, proporcionando a produção dos fundamentais sucos digestivos, além de estar em contato com seu cérebro para lhe dar o sinal de fome ou saciedade.

Como vimos também, hormônios agem em conjunto com o pâncreas para o funcionamento da digestão. Além dos hormônios temos os nervos, que estão conectados com o sistema nervoso central – cérebro e medula espinhal.

Dessa forma, eles também são importantes para o controle de algumas funções da digestão, como o envio de sinal ao cérebro quando você sente o cheiro de uma comida. Aquela sensação de água na boca que vai lhe abrir ainda mais o apetite. Também existem nervos em suas paredes do tubo digestivo, nervos estes que liberam substâncias com a finalidade de acelerar ou diminuir a movimentação dos alimentos, além de poder influenciar também na produção de alguns sucos digestivos.

Enzimas digestivas

Durante todo o decorrer desse artigo você percebeu muito bem a importância de alguns agentes que atuam na hora de proporcionar ou facilitar a quebra dos alimentos com a finalidade do organismo fazer a absorção de seus nutrientes. Tudo isso começa desde sua mastigação e tem as enzimas digestivas exercendo papel fundamental para isso.

O processo que essas enzimas proporcionam pode ser resumido como uma quebra de macromoléculas para moléculas simples, ajudando na digestão. Como mencionado, as enzimas atuam principalmente na quebra do amido, mas não é a mesma para todos os nutrientes. A que quebra o amido é um tipo, enquanto a que quebra as proteínas e lipídios tem outra denominação.