Aliteração – Figuras de Linguagem

Aliteração | A aliteração é uma figura de linguagem inserido dentro do subgrupo figuras de som, também conhecidas como figura de harmonia. Esses recursos de expressão acontecem quando, na linguagem oral, o som de seguidas palavras dentro de uma sentença se repete várias vezes. 

Outras figuras de linguagem conhecidas como de som ou de harmonia são a assonância, paronomásia e a onomatopéia, esta última amplamente conhecida por aparecer em revistas em quadrinhos. 

Como o leitor deve saber, a língua portuguesa possui diversas figuras de linguagem, com os mais variados objetivos e especificidades. Se quiser saber sobre esse assunto em um panorama mais geral, clique no link a seguir: Figuras de Linguagem – O que são? Quais são as principais?

No artigo de hoje iremos falar sobre a aliteração, um recurso de expressão amplamente utilizada na literatura, mas que também pode ser usado em conversas do nosso cotidiano. 

O que é a aliteração?

Como falado anteriormente, a aliteração é conhecida como uma figura de som. Isso significa que esta ocorre quando há um recurso de expressão notado na linguagem oral, seja na similaridade de sons ou na tentativa de reprodução destes. 

A aliteração ocorre quando há a repetição de consoantes em seguidos termos de uma sentença. É importante ressaltar que ela pode ocorrer em diversas situações: quando há a repetição de sons iguais ou parecidos, tanto no início quanto no meio de uma palavra. 

Por produzir um efeito sonoro interessante, a aliteração é amplamente utilizada na literatura de forma geral, principalmente em letras feitas para melodias. É uma figura de linguagem fácil de ser percebida, mas é necessário atenção para não se confundir. 

Exemplos de aliteração 

Veja abaixo algumas frases onde podemos identificar a ocorrência da figura de linguagem conhecida como aliteração: 

  • “O rato roeu a roupa do Rei de Roma”; 

No provérbio popular acima, amplamente conhecido por ser um “trava-língua”, podemos perceber um caso clássico de aliteração, através da repetição da consoante “R”. 

 

  • “Três pratos de trigo para três tigres tristes”; 

 

Outro ditado popular conhecido por ser um “trava-língua”, na sentença acima está presente a figura de linguagem aliteração, a partir da repetição das consoantes “TR”. 

 

  • “Chove chuva, chove sem parar”;

 

Na frase acima, retirada da música “Chova Chuva” do artista Jorge Ben Jor, também é possível notar um clássico caso de aliteração, a partir da repetição das consoantes “CH”. 

Aliteração e Assonância: qual a diferença?

No momento de aprender as figuras de linguagem, é comum ter dúvidas para diferenciar algumas delas, justamente pelo fato de apresentarem conceitos semelhantes. Esse é o caso da aliteração e da assonância, que são baseadas a partir da repetição de sons em uma frase. 

A distinção entre esses dois recursos, no entanto, é bastante simples: enquanto a aliteração consiste na repetição de sons derivados de consoantes, como citado nos exemplos acima, a assonância se baseia na repetição de sons derivados de vogais. Para ilustrar, veja abaixo um exemplo de cada figura de linguagem: 

  • “ O sabiá não sabia que o sábio sabia que o sabiá não sabia assobiar” 

No exemplo acima vemos uma clara ocorrência de aliteração, a partir da constante repetição do som ocasionado pela consoante “S”. 

  • “O David gosta de mamão, melão e pinhão”; 

Acima vemos um exemplo de assonância, uma vez que a repetição de sons está sendo causada pelas vogais “ao”, com a adição do “til”. 

 

Gostou do nosso artigo sobre “Aliteração”? Deixe nos comentários a sua dúvida sobre o assunto e bons estudos”