Clímax (Gradação)

Clímax (Gradação) | Figuras de Linguagem |  O clímax é uma figura de linguagem na qual palavras, frases, cláusulas ou sentenças sucessivas são organizadas em ordem crescente de importância, como em “Olhe! Lá em cima no céu! É um pássaro! É um pássaro! É um avião! É o Super-Homem!”

O clímax tem o efeito de criar entusiasmo e antecipação. Esse recurso de expressão é usado na escrita de todos os tipos, de discursos e músicas a romances e peças de teatro. Também é conhecido, na língua portuguesa, como gradação. 

O termo “clímax” também tem outro significado: o clímax, a figura de linguagem, é diferente do clímax, o momento em uma trama em que o conflito central da história atinge o pico de intensidade.

Existem diversas figuras de linguagem, cada uma com as suas especificidades e objetivos. Se quiser conhecer mais sobre elas, saber quais são as mais importantes e quais são as mais comuns em provas para vestibulares e concurso, clique no link a seguir: Figuras de Linguagem – O que são? Quais são as principais? 

O que é clímax (gradação)?

O clímax aparece em todo o lugar e é uma figura de linguagem fácil de identificar. A definição de clímax inclui qualquer uso de linguagem que seja caracterizada por um sentimento de intensidade crescente em palavras, frases, cláusulas ou sentenças sucessivas, mas geralmente concorda-se que algo é apenas um exemplo de clímax se a tensão for construída ao longo de três ou mais palavras. Por exemplo, as seguintes frases NÃO são caracterizadas como clímax, pois cada uma contém apenas duas idéias distintas:

  • “Se você acha que isso é ruim, fica pior.”
  • “Ao infinito e além!”
  • “Fora da frigideira e no fogo!”

Veja abaixo alguns exemplos que contêm pelo menos três palavras ou cláusulas discretas em ordem crescente de importância, o que as qualifica como exemplos de frases com a figura de linguagem clímax:

  • “Que um homem reconheça suas obrigações para consigo mesmo, sua família, seu país e seu Deus.”;
  • “Como a confiança foi perdida, a amizade foi perdida; a fidelidade foi perdida; a liberdade estava perdida – tudo estava perdido.”;

Às vezes pode ser difícil dizer se as palavras ou termos em uma frase realmente têm uma hierarquia de importância ou poder, o que dificulta saber se é um exemplo de clímax. Por exemplo, Abraham Lincoln estava usando o clímax quando disse:

“Do povo, pelo povo, para o povo.”

Algumas pessoas podem argumentar que o termo “para o povo” é a idéia mais revolucionária das três apresentadas acima, e que, portanto, este é um exemplo de clímax. No entanto, outros podem dizer que não há hierarquia entre essas três idéias – que são todas igualmente importantes – e que essa sequência, portanto, não é um exemplo de clímax.

Diante disso, conclui-se que, se você puder ver uma maneira em que as três palavras ou frases estão aumentando em importância, poderá argumentar que é um exemplo de clímax. Mas se você não conseguir dizer se uma frase está usando o clímax mesmo depois de analisar suas palavras de perto, provavelmente não trata-se de um exemplo de clímax. 

Clímax e Anticlímax: qual a diferença?

O oposto do clímax é uma figura de linguagem chamada anticlímax. Ele ocorre quando as palavras são organizadas em ordem decrescente, como em:

  • “Ele viu os estragos da guerra, conheceu catástrofes naturais e esteve em bares de solteiros”. (Woody Allen)
  • “Ele perdeu a família, o emprego e as plantas da casa”.

Basicamente, o anticlímax ocorre da mesma forma que o clímax, mas com os termos em ordem decrescente de importância. 

Gostou do nosso artigo sobre “Clímax (Gradação)”? Deixe abaixo nos comentários as suas dúvidas sobre o assunto. Bons estudos!