Sistema Reprodutor Feminino

Sistema Reprodutor Feminino

A educação sobre como funciona nosso corpo e seus variados sistemas deveria ser uma das grandes prioridades das escolas pelo Brasil afora. No entanto, sabemos que a educação sexual não é um tema discutido profundamente nas salas de aula.

Esse é um tópico bem específico, mas que abre outras segmentações que podemos tratar de uma forma introdutória para chegar nesse assunto, como por exemplo, os sistemas reprodutores do homem e da mulher. Nesse artigo, falaremos bastante sobre o sistema reprodutor feminino.

Sistema reprodutor feminino

Para começar, vamos com uma definição do que é o sistema reprodutor feminino e partir daí dissertar sobre as segmentações recorrentes. Sendo composto por órgãos internos e também estruturas externas, a função do sistema reprodutor feminino é, como o próprio nome diz, permitir a reprodução da espécie. O processo sofrido por esse sistema com a finalidade de desempenhar seu papel durante a gravidez e o parto pode ser chamado de maturação sexual.

Os órgãos reprodutivos internos

Quando pensamos em sistema reprodutor feminino, uma das primeiras coisas que nos vem a cabeça certamente é o útero. Localizado no centro da pélvis, o útero abriga o feto enquanto ele se desenvolve no período da gravidez. Na parte inferior desse órgão encontramos o colo do útero, que se abre para a vagina ou para o canal do parto. Uma abertura localizada nesse colo do útero é a responsável pela passagem do espera para o órgão em questão, além da saída do sangue menstrual. Outro ponto é que essa mesma abertura se dilata durante o parto, permitindo a passagem do bebê.  Surgindo da parte superior do útero em cada lado estão as trompas de Falópio. Estes são canais que permitem que os óvulos dos ovários entrem no útero.

As trompas de Falópio ainda apresentam  outro papel importante, pois é ali que acontece o processo de fertilização de um óvulo por um espermatozoide, com esse óvulo fertilizado entrando no útero, onde é implantado. Ao lado do útero de cada lado e perto da abertura das trompas de Falópio estão ovários pequenos e ovais. Eles produzem hormônios e contêm ovos. Ao nascer, uma fêmea tem 1 a 2 milhões de ovos já presentes nos ovários, mas apenas cerca de 300 deles amadurecem durante a vida de uma mulher.

Órgãos reprodutivos externos

Os grandes lábios são duas protuberâncias carnudas que protegem e envolvem os outros órgãos reprodutivos externos. Eles são cobertos com pelos após a puberdade. Eles contêm glândulas que produzem suor e óleos. Dentro dos grandes lábios estão os pequenos lábios, protuberâncias menores de carne que circundam as aberturas da uretra (que permite a passagem ou a urina) e a vagina. Localizadas ao lado da abertura vaginal, encontram-se glândulas que produzem muco, conhecidas como glândulas de Bartholin. Na junção dos pequenos lábios é o clitóris, uma pequena estrutura que é coberta por uma dobra de pele chamada prepúcio. O clitóris é comparável ao pênis masculino e é altamente sensível.

O ciclo menstrual

O ciclo menstrual é o ciclo mensal de maturação do folículo e do ovo, a liberação de um óvulo (ovulação) e a preparação do revestimento uterino para a gravidez. Se uma mulher não engravidar, o tecido do revestimento uterino é derramado como sangue menstrual. A maioria dos ciclos menstruais ocorre a cada 28 dias. A menarca é o tempo durante a adolescência quando começam os períodos menstruais. Períodos menstruais continuam a ocorrer até que a mulher atinja a menopausa.

Fase folicular

A fase folicular é o começo do ciclo menstrual. Começa no primeiro dia do sangramento menstrual e geralmente dura cerca de 14 dias. Os hormônios hormônio folículo-estimulante (FSH) e hormônio luteinizante (LH) são liberados da glândula pituitária para estimular os ovários. Por sua vez, os ovários produzem estrogênio e estimulam a maturação de cerca de 15 a 20 ovos nos ovários dentro de pequenas áreas císticas conhecidas como folículos. Quando os níveis de estrogênio começam a subir, a secreção de FSH é reduzida por um sistema de feedback, de modo que a estimulação do folículo cessa no momento apropriado. Com o tempo, um dos folículos do ovo (ou raramente, dois ou mais) torna-se dominante, e a maturação dos outros folículos é interrompida. O folículo dominante continua a produzir estrogênio.

Ovulação

A ovulação ocorre no ponto médio do ciclo menstrual. A produção de estrogênio a partir do folículo dominante leva a um aumento acentuado na secreção de LH, fazendo com que o folículo dominante libere seu óvulo. O óvulo é varrido para dentro da trompa de Falópio por estruturas finas nas extremidades dos tubos conhecidos como fímbrias. Neste momento, o colo do útero produz uma quantidade aumentada de muco fino que ajuda os espermatozóides na passagem para o útero.

Fase lútea

A fase lútea do ciclo menstrual começa na ovulação (liberação do ovo). Depois que o óvulo é liberado, o folículo vazio se transforma em uma massa cística de células chamada corpo lúteo. O corpo lúteo produz então progesterona, um hormônio que prepara o revestimento do útero para a implantação de um óvulo fertilizado. Se um óvulo foi fertilizado, o óvulo fertilizado percorre uma das trompas de Falópio no útero e implanta-se no tecido do revestimento uterino. Se a fertilização de um óvulo não tiver ocorrido, o revestimento do útero eventualmente se rompe e é eliminado, resultando em sangramento menstrual.

Menopausa

Menopausa é definida no momento em que uma mulher não teve um período menstrual por 12 meses consecutivos. Sinaliza o fim da fertilidade de uma mulher e ocorre, em média, aos 51 anos de idade, embora o tempo da menopausa possa variar amplamente. Com a menopausa, os níveis hormonais caem, e algumas mulheres experimentam efeitos desagradáveis ​​dos baixos níveis hormonais, incluindo ondas de calor, alterações de humor, dor de cabeça, cansaço e distúrbios do sono.